É mais uma aplicação da radiação, agora para efeitos de cura. As sementes radioativas são usadas na braquiterapia prostática, a designação técnica para uma terapêutica usada no combate ao cancro da próstata

A braquiterapia aproveita o poder da radioatividade para eliminar o cancro localizado na próstata, recorrendo a sementes que são implantadas com a missão de eliminarem as células cancerígenas. O objetivo é cumprido com 95% de eficácia. As células vizinhas mantêm-se saudáveis e os órgãos são pouco atingidos. Estas sementes que curam são menores que um grão de arroz e estão revestidas por uma cápsula cilíndrica de titânio, com uma parede suficientemente fina, para permitir a passagem da radiação. É dentro desta cápsula que está a cura, num fio de prata de 0,5 mm de diâmetro com iodo 125, na dosagem certa para que a ação da semente seja circunscrita à próstata.

O período de atividade intensa destas sementes é de dois meses, passado este tempo a atividade reduz-se para metade, razão porque se fala em semivida de dois meses. Isto leva a que a radiação emitida seja insignificante a partir dos seis a oito meses, após o implante. Contudo, o efeito terapêutico irá estender-se até aos dois anos, tal como os efeitos da radiação solar, como uma queimadura, se manifestam muito tempo depois de ter abandonado a praia.

A preparação para a colocação deste tipo de sementes é planeada antecipadamente e a dosagem certa é calculada individualmente, sendo que um conjunto de 60 a 80 sementes cobre todo o interior da próstata. Feitos os cálculos, a implantação das sementes é feita em bloco operatório, com a ajuda de umas agulhas especiais e por uma equipa que envolve, urologista, anestesista, físico e radioterapeuta.

Este avanço terapêutico resulta da evolução tecnológica na área da medicina nuclear, mas também de sofisticados programas de dosimetria tridimensional e também da ecografia. É o envio, em tempo real, de imagens detalhadas que permite saber com precisão o tamanho e forma da próstata, enquanto o software criado calcula a quantidade de sementes que é necessária para o tratamento, bem como o local exato onde devem ser colocadas.

A braquiterapia é uma alternativa terapêutica à cirurgia e radioterapia externa. Tem menor taxa de efeitos secundários, menor tempo de anestesia e menor tempo de internamento. A dose usada é muito baixa e acaba por ser absorvida pela próstata passado algum tempo. Há um condicionante, esta terapêutica não está indicada para todos os casos, cabe à equipa fazer a correta avaliação de cada situação clínica.

Arnaldo Figueiredo

(médico urologista)

Leave a reply