A prioridade passa pelo reforço de todas as medidas de segurança e proteção, mesmo antevendo a contrariedade que tal possa representar para os mais incautos e distraídos. O controlo da pandemia de COVID-19 exige que cada um de nós proteja o outro. A responsabilidade é de todos

  • Como nos preparámos?


    Todos os profissionais vestem equipamento de proteção (farda, bata e máscara) que é adaptado à função de cada um e à necessidade de contacto com o público. A triagem é obrigatória e por isso existe prioridade nos acessos de profissionais que exercem atividade no Centro Cirúrgico de Coimbra. A higienização, limpeza e arejamento dos espaços, a criação de variados circuitos de circulação interna e a adaptação dos espaços de acolhimento e receção de utentes, completam a parte visível do nosso “Plano de contingência interno”.

  • Estamos a testar todos os profissionais


    A evolução da pandemia por SARS-CoV2 exigiu-nos uma nova reação e os escudos de segurança foram elevados a um nível máximo. Estamos a testar todos os profissionais.

    Semanalmente, os nossos profissionais estão a ser testados, cumprindo a responsabilidade acrescida que o Centro Cirúrgico assumiu, que é a de garantir proteção a todos os que precisam dos nossos cuidados.

    Os testes de deteção de SARS-CoV2 estão a ser feitos uma vez por semana e o processo inclui todos os funcionários e colaboradores, mas também todos os
    médicos que aqui exercem atividade profissional.

    A sua segurança continua a ser o nosso objetivo e missão.

  • O que mudou no acesso?


    O acesso passou a estar condicionado. A triagem é um processo obrigatório, os objetos pessoais foram reduzidos ao mínimo dos mínimos e existem 3 regras obrigatórias:

    – Uso de máscara
    – Higienização de mãos e objetos pessoais
    – Distância segura

    É recomendado que traga o mínimo de objetos pessoais  (exemplos: o cartão de identificação, cartão de pagamento, boletim de saúde infantil e juvenil, exames em pasta de plástico, telemóvel, uma esferográfica). Não deve trazer carteira, bolsa, mochila ou uma pasta, nem tão pouco malas com rodas, carrinhos de criança ou transportadores de bebé, como o “ovo” (com rodas). A entrada do ovo apenas é permitida (sem rodas) no caso de crianças menores de um ano de idade e sempre que vêm acompanhadas apenas por um dos progenitores.

  • Posso acompanhar um doente?


    A organização Centro Cirúrgico de Coimbra decidiu não autorizar a entrada de acompanhantes nas consultas médicas. Ficam salvaguardados os casos de grávidas, casais em tratamento de fertilidades, pessoas com défice cognitivo, invisuais e menores de idade.

    Para todas as outras situações e em concreto pessoas com mais idade, o acompanhante não está autorizado a entrar nas nossas instalações, durante o período da atividade normal. O controlo da pandemia CONVID-19 justifica a necessidade de restringir o acesso de todas as pessoas cuja presença é perfeitamente imprescindível. Contudo, o familiar ou pessoa indicada pelo doente poderá ter acesso ao resumo da situação clínica, através de um contato telefónico que o médico faz no fim da consulta ou mesmo pessoalmente, quando o médico pode deslocar-se ao exterior.

  • Quem deve fazer triagem?


    Todos e todas. O acesso a qualquer área do Centro Cirúrgico de Coimbra só é autorizado depois de passar pelo processo de triagem, que é obrigatório para todos os casos e situações.

    É aí que oferecemos uma máscara cirúrgica  (mesmo que traga uma de casa) e que deve higienizar as mãos e objetos pessoais. 

    Todo o processo de triagem é feito por profissionais de enfermagem e, se durante esta avaliação for detetado um sintoma relevante  (como febre, tosse, dificuldade em respirar, perda de olfato ou paladar…), será dada essa indicação ao seu médico assistente. 

  • Há um custo acrescido?


    Ao utente de uma qualquer consulta de especialidade não lhe é cobrado nenhum pagamento extra ou taxa pelo investimento em equipamento de proteção que é necessário utilizar. Contudo, existem casos em que ao custo do exame e/ou intervenção terá de ser acrescido um valor máximo de 30 euros, como taxa de comparticipação do Equipamento de Proteção Individual (EPI)  que é necessário usar. Estão incluídos nesta situação os exames de Radiologia de Intervenção, por exemplo.

    Contudo, em todos os exames de Radiologia, que não exigem um ato invasivo, como RX, ecografia, TAC ou RM o utente não paga nenhuma taxa pelo investimento em EPI, cabendo ao Centro Cirúrgico proporcionar as condições de segurança e assumir esse mesmo custo. O mesmo já não acontece nos exames de diagnóstico de Gastroenterologia e em todas as situações que exigem sedação ou anestesia, tudo situações em que o custo em EPI terá de ser repartido, cabendo ao utente o pagamento de uma taxa máxima de 30 euros.

    Este pagamento aplica-se apenas durante o estado de pandemia por COVID-19 e justifica-se pela necessidade de proteção de todos os envolvidos, sendo por isso necessário o uso de diferentes equipamentos de proteção.

  • Há uma lotação máxima?


    Há, nomeadamente nas salas de espera. Estes espaços foram adaptados para que possam cumprir o distanciamento social obrigatório. Os lugares sentados estão deviamente sinalizados, bem como o lugar destinado ao acompanhante, quando autorizado a entrar. Os lugares marcados devem ser respeitados, tal como, ao balcão, deve respeitar a marcação de distância segura que está sinalizada no chão.

  • O bar está aberto?


    Sim está, mas com limitações. Internamente, é permito o acesso de duas pessoas de cada vez, para os acompanhantes, o acesso é externo e com serviço ao “postigo”. Não existe nenhuma esplanada junto ao bar, uma vez que a exiguidade do espaço não permite o cumprimento de distâncias seguras, pelo que deve procurar uma zona com mesas e cadeiras que disponibilizamos no exterior. Se pretender fazer uma encomenda antecipada, pode telefonar para o 239 802 585, número exclusivo e de contacto direto para o Bar. É possível comprar sopa do dia; sandes (pregos e bifanas); saladas, bolos; salgados; fruta e bebidas (não alcoólicas).

  • WC – Casas de Banho individuais?


    A utilização dos espaços comuns das casas de banho passou a ser individual, pelo que deve respeitar a sinalização existente de «Livre» ou «Ocupado», aguardando pela disponibilidade. Existe um wc público no exterior, junto ao parque de estacionamento.

  • Pagamento por multibanco e outros?


    O pagamento de todos os serviços (consultas/exames/bar/cirurgias) deve ser feito com cartão multibanco, preferencialmente. A opção contactless está ativa em alguns terminais, mas ainda não conseguimos alargar esta aplicação. Todos os terminais de pagamento e as esferográficas, que disponibilizamos para assinatura de documentos, são higienizados no momento de entrega.

  • Tenho uma consulta no Edifício 1, como faço?


    É no Edifício 1 (amarelo) que se concentram as consultas de Oftalmologia e ainda algumas de Otorrinolaringologia (Dr. Jorge Miguéis e Dr.ª Vera Soares), mas também o bar, o internamento e a secretaria.

    O posto de triagem é feito pela entrada em frente ao IC2. Mas, note, consoante as condições atmosféricas, o acesso poderá alternar entre uma e outra porta de entrada neste edifício. Sugerimos que, logo à entrada, ouça as indicações que são dadas pelo segurança. A saída para o exterior será feita por uma das duas portas de emergência que servem esse edifício.

  • Como entro no edifício 2 ?


    Todas as outras especialidades médicas e cirúrgicas, mas também os exames de Cardiologia e de Otorrinolaringologia estão localizadas no Edifício 2 (branco). O acesso é feito pela porta principal do Edifício 2, em frente ao IC e a saída é feita pela porta de emergência, localizada na posição oposta.

  • Pediatria


    Com um espaço físico autónomo, os utilizadores da Pediatria são, desde sempre, alvo de cuidados especiais e diferenciados, com um apoio logístico e permanente do secretariado afeto a este espaço. A entrada no edifício faz-se pela porta principal e o circuito de saída pela porta de emergência.

    Note que os menores de idade estão dentro das exceções, no que toca à permanência de um acompanhante em consulta. Contudo, esta permissão só é válida para um dos pais. A existirem exceções, serão sempre ponderadas pelo médico pediatra e, no caso de crianças com menos de um ano de idade, é autorizada a entrada dos dois progenitores.



  • Venho fazer um exame, onde me dirijo?


    A Radiologia/Imagiologia tem um acesso individualizado e um posto de triagem próprio. O acesso é feito pela porta de vidro, junto à rotunda que existe dentro do Cento Cirúrgico de Coimbra e a saída pode ser feita por uma das duas portas de emergência.

    Nas situações em que apenas precisa levantar o resultado de um exame, deverá cumprir esse mesmo acesso e passar pelo posto de triagem. É por isso que recomendamos que, em alternativa e sempre que for possível, leve consigo o resultado no próprio dia do exame ou solicite o envio via CTT.

  • Vou ser internado, como faço?


    O acesso ao Internamento é feito pelo posto de triagem que está em funcionamento no Edifício 1. Sugerimos que traga consigo apenas o indispensável, evitando as malas com rodas ou outra bagagem de difícil higienização e que, nesse dia, não use qualquer tipo de adorno pessoal. A estadia no Internamento do Centro Cirúrgico de Coimbra está sempre sujeita à realização do teste COVID-19 (SARS-CoV-2) e a realização de qualquer intervenção cirúrgica está sempre dependente do resultado deste teste. O protocolo pré-cirúrgico inclui um contacto prévio com um profissional de enfermagem. Se tem uma cirurgia agendada, aproveite este contacto para tirar todas as dúvidas.

  • Visitas autorizadas?


    As visitas estão temporariamente suspensas. No processo de admissão no internamento será acordado com o doente qual a melhor forma de contato com familiares ou outros.

  • Cuidados de enfermagem onde?


    Os cuidados de enfermagem, que prestamos em regime de ambulatório, mantêm-se. Os doentes devem dirigir-se ao posto de triagem localizado na entrada principal do Edifício 2.

  • Colonoscopias e endoscopias com teste COVID?


    Sim, é verdade. A realização destes exames exige a apresentação de um resultado negativo ao teste COVID-19. O reforço do protocolo de segurança e a necessidade de proteção de todos os envolvidos (utentes e profissionais) alterou os procedimentos exigidos para a realização de exames endoscópicos (colonoscopia e endoscopia).

    Assim e depois de uma análise da norma n.º19 da DGS e do Decreto-Lei que
    determinou o Estado de Emergência, o teste COVID-19 passou a ser obrigatório para todos os que realizam um exame endoscópico, seja colonoscopia, seja endoscopia digestiva alta.

    A realização do seu exame está sujeita à apresentação de um resultado negativo.

    Existem 2 tipos de teste:

    1) Teste PCR (TAAN) pode ser prescrito pelo seu médico de família e, nesse
    caso, não terá qualquer encargo, uma vez que o teste é gratuito. Se realizar
    este teste num laboratório privado na área da sua residência e sem prescrição do médico de família terá de pagar o teste na totalidade (Lab.
    Beatriz Godinho: teste PCR 100 euros). Note que este teste deve ser
    realizado 48 horas antes do exame, uma vez que o resultado só é obtido 24
    horas depois (ou mais).

    2) Teste rápido (TRAg) deve ser realizado no próprio dia do exame, em
    laboratórios privados da área da sua residência (Beatriz Godinho: preço do
    teste rápido 40 euros); postos da Cruz Vermelha ou Centro Cirúrgico de
    Coimbra. Para realizar o teste no Centro Cirúrgico deve fazer uma marcação e o teste custa-lhe 20 euros). O resultado deste teste é apurado em 30 minutos, mas deve questionar sempre quando é entregue o relatório escrito onde consta o resultado.

    Note bem: Seja qual for a sua opção, a admissão no Centro Cirúrgico de Coimbra só pode ser feita mediante a apresentação do relatório onde consta o resultado do teste COVID-19.


​A sua segurança é o nosso objetivo e missão.
Vamos fazê-lo juntos.


Deixe um comentário