É incontornável. O balanço muscular entre os músculos que baixam e levantam a pele, quando rimos ou quando nos zangamos e franzimos a testa, acabam por escrever na pele as marcas dos anos que passam. Num tempo de aparências, mudar a imagem passa, obrigatoriamente, pela ideia de rejuvenescer. A Dermatologia pode propor soluções estéticas, corrigindo excessos (rugas) ou eliminando algo que é mesmo indesejável (pelos, aranhas ou manchas)

«As propostas que temos não tiram anos às pessoas, mas conferem outra aparência, a pele ganha qualidade, rejuvenesce e relaxa, sem que a expressão facial seja afetada», explica a dermatologista Evelina Ruas. «Ninguém quer alterar expressões, mas querem atenuar as rugas. As pessoas sentem-se bem e por isso voltam, acabam por se tornar Fiéis e não desistem de dar continuidade ao tratamento», acrescenta.

As várias soluções que podem ser propostas implicam isso mesmo, mais cedo ou mais tarde, é necessário voltar. Também não há uma única solução, há tratamentos combinados com várias técnicas, mas só depois da avaliação da pele é que é ditado o percurso que se pode percorrer. A toxina botulínica (também conhecida por botox – nome comercial de um dos produtos) é o ponto de partida para aquilo que se designa de tratamento “de hora de almoço”, isto porque pode ser aplicado durante esse período em alguns minutos, e está recomendado para as rugas da parte superior da face, como seja, os chamados “pés de galinha” e a testa franzida.

Para as rugas da parte inferior da face já se recorre a outro tipo de técnica, denominada de preenchimento e «que consiste em injetar na pele ácido hialurónico, uma substância reabsorvível que se encontra de forma natural no nosso organismo, que hidrata e dá volume à pele». Todos estes produtos são aplicados em quantidades mínimas e através de micro injeções em locais específicos, consoante o que se pretende reduzir e o efeito pretendido.

Mas, nada é eterno e os produtos injetados não ocupam aquele mesmo espaço para sempre, o líquido dissolve-se e é absorvido pelo organismo, razão porque é necessário repetir, caso haja interesse em manter o efeito do tratamento. Por norma, é necessário repetir esta sessão de seis em seis meses, mas ainda há a hipótese de recorrer a vitaminas (também injetadas) que ajudam a prolongar o efeito do tratamento inicial e os seis meses podem arrastar-se no tempo e passarem a nove meses. Todas estas propostas inserem-se nos tratamentos estéticos mini invasivos, uma vez que em caso algum estas soluções recorrem à cirurgia.

A estas soluções junta-se ainda a possibilidade de fazer um “peeling’s”, uma espécie de escamação da pele que tem muita adesão entre o sexo feminino e que procura dar qualidade à pele da face, pescoço e mãos. Um “peeling”, ou dermabrasão química superficial da face, é um método também utilizado para o tratamento de manchas e alterações da pigmentação da pele, acelerando o processo de renovação celular a partir de camadas mais profundas da pele, ao mesmo tempo que elimina as camadas mais superficiais. Os tratamentos estéticos da face ainda podem incluir o recurso às novas tecnologias da laserterapia, podendo ser usados na rosácea ou no tratamento das “aranhas” vasculares.

Se nas questões estéticas, as rugas ainda são uma preocupação quase exclusiva do género feminino, na questão dos pelos indiscretos já não é bem assim. O género masculino começa a estar interessado na depilação definitiva e a adesão está a aumentar. O método ainda não é utilizado para eliminar radicalmente a barba, mas o sexo masculino já começa a estar bastante interessado em retirar os pelos indiscretos e supérfluos que surgem no pescoço e que teimam em espreitar por debaixo da camisa e gravata.

Leave a reply