Nasceu para sobreviver e tem cumprido esse destino, inserido num ambiente adverso, o Homem modificou comportamentos e conseguiu a manutenção da espécie. Quis mais e evoluiu. Adaptou-se e modificou comportamentos até chegar à espécie dominante. A espécie Sapiens marcou a diferença, apesar de o Neandertal se apresentar mais robusto. A manutenção da espécie foi assegurada pelo sábio, o Homo Sapiens Sapiens.

Há cerca de 12 milhões de anos ocorreu em África uma série de importantes modificações na superfície terrestre, as quais teriam desempenhado um papel decisivo no processo de transformações adaptativas de antropóides, levando à formação do homem.

Em consequência das transformações climáticas, as florestas foram tornando-se mais rarefeitas, substituídas na maior parte por vegetação mais escassa e rasteira. Passaram a predominar as espécies herbáceas e arbustos de menor porte. O novo ambiente favorecia outro tipo de adaptação.

Era a situação ideal para um símio capaz de caminhar em pé, pois, além de lhe permitir realizar longas caminhadas à procura de alimentos, proporcionava-lhe a libertação das mãos, que passaram a ser utilizadas em sua defesa.

Há cerca de 2 milhões de anos, aquela região de África era habitada por inúmeros hominídeos, que tinham em comum a bipedia e uma notável diferença de tamanho entre machos e fêmeas. Também nessa altura começaram a aparecer, nessas mesmas regiões, outros tipos de hominíedos, porém dotados de maior capacidade cerebral: foram os do género Homo.

Há cerca de 1,6 milhões de anos, surge um novo personagem nesse cenário. Trata-se do Homo erectus, antigamente conhecido como Pithecantropus erectus. A capacidade craniana do Homo erectus era de 900 centímetros cúbicos (muito superior aos anteriores), e essa espécie, ao que tudo indica, há cerca de 1 milhão de anos começou a espalhar-se pelo mundo.

Essas migrações parecem ter tido uma grande influência na evolução do homem, por terem colocado essa espécie primitiva em confronto com diferentes situações ambientais. O Homo erectus parece ter sido o primeiro hominídeo a utilizar o fogo.

Migrando para regiões frias, aprendeu a viver em cavernas. Dessa espécie ter-se-iam originado diferentes variedades de Homo sapiens. As relações entre as diversas variedades de Homo erectus estão ainda longe de serem bem conhecidas.

Carlos Jardim
(Médico Ortopedista)

Para ler o artigo na íntegra consulte a Revista Olhares

Leave a reply