Afeta a parte central da retina e por isso a realidade fica desfocada, o mundo passa a ser visto por frinchas laterais. O diagnóstico pode estar relacionado com a idade e receber o nome de Degenerescência Macular. Os sinais são quase impercetíveis e chegam com o passar dos anos.

A evolução é silenciosa e nem sempre notória. Esta é uma das situações em que as linhas retas começam por parecer distorcidas, a perceção das cores é menos nítida, acabando por surgir uma área escura no centro da visão e dificuldade em ler com nitidez.

A mácula, a pequena área localizada na parte posterior do olho e que nos permite ver com clareza e nitidez, é responsável pela visão central e, quando há degenerescência macular ocorre um embaçamento de toda a visão central. É na mácula que os raios de luz se encontram, depois de terem sido focados pela córnea e pelo cristalino do olho, se perder esta sua função, o olho apenas consegue captar a chamada visão periférica. Há vários tipos de degenerescência macular mas, em todos eles, o diagnóstico atempado fará a diferença na evolução da doença. Pode-se travar a sua evolução, mas nem sempre é possível corrigir os danos já causados.

A degeneração macular é uma causa comum de perda irreversível de visão após os 50 e 60 anos de idade. A idade e o tabaco são fatores de risco, tal como a exposição continuada à luz solar pode ser um risco acrescido.

Leave a reply