Em apenas alguns segundos, a cirurgia refrativa pode acabar com o uso de óculos ou lentes de contacto. Para lá chegar, há um percurso a fazer e que, obrigatoriamente, deve começar por um correta avaliação. A garantia de sucesso para correção da miopia, astigmatismo e hipermetropia começa assim.

A evolução das tecnologias aplicadas à oftalmologia permite hoje a correção definitiva de erros refrativos (miopia, hipermetropia e astigmatismo) com um grau de precisão e segurança apreciáveis. Os resultados cirúrgicos são ótimos desde que se cumpram com rigor as indicações e se tenham todos os cuidados inerentes a uma intervenção cirúrgica.

Antes de tomar a decisão de fazer uma cirurgia refrativa com laser Excimer (LASIK), é necessário determinar se é um bom candidato, com uma avaliação completa que vai revelar se existem contraindicações ou, se pelo contrário, há garantias de sucesso.

Antes da cirurgia

Para que a avalização seja eficaz, o uso de lentes de contacto deve ser interrompido, devendo ser substituídas por óculos. Isto porque, as lentes de contacto alteram a forma da córnea, um efeito que se estende por dias ou semanas após a sua suspensão, dependendo do tipo de lente utilizada. Se o uso de lentes de contacto não for interrompido durante um período de tempo suficiente, o sucesso da cirurgia refrativa pode ficar comprometido, uma vez que a avaliação e a planificação cirúrgica podem apresentar valores que não correspondem à realidade.

Quando interromper o uso de lentes de contacto:

• Lentes hidrófilas de substituição frequentes (descartáveis): pelo menos 1 semana antes da observação inicial;

• Lentes hidrófilas tóricas (incluindo descartáveis): pelo menos 2 semanas antes da observação inicial;

• Lentes rígidas gás-permeáveis: pelo menos 3 semanas antes da observação inicial;

• Lentes rígidas: pelo menos 4 semanas antes da observação inicial.

Na primeira consulta de avaliação devem ser mencionadas todas as doenças prévias, quer médicas, quer oculares, bem como todas as medicações em curso e uma eventual história de reações alérgicas. Na posse dos resultados obtidos nos exames de avaliação, o oftalmologista, pode concluir se preenche as condições para uma cirurgia refrativa, devendo explicar os riscos, benefícios e eventuais cirurgias Deverá ficar claro o que é expectável antes, durante e após a cirurgia e os cuidados a ter. Este é o momento para esclarecer todas as dúvidas e, sobretudo, sem se sentir pressionado pelo seu médico, família, amigos ou outros, tomar a decisão de se submeter a uma cirurgia refrativa.

Tomada a opção e agendada a intervenção, no dia anterior, não deve usar cremes, loções, perfumes e maquilhagem. Estes produtos, assim como os seus resíduos nas pestanas, podem aumentar o risco de infeção durante e após o procedimento. Deve ainda ser feita uma boa limpeza das pálpebras e das pestanas nos dias antes da cirurgia. É ainda sugerido que planeia a viagem de regresso a casa, uma vez que não deve conduzir imediatamente após a cirurgia, porque o olho intervencionado será temporariamente tapado, como proteção.

Durante a cirurgia

A cirurgia demora menos de meia hora e é completamente indolor. Serão colocadas várias gotas de anestésico no olho e a intervenção é realizada no bloco operatório, o que garante assepsia. Após a aplicação de gotas, é efetuada uma limpeza e colocado um instrumento para manter as pálpebras abertas. Para a realização da queratotomia a laser, a córnea é aplanada por um cone de plástico, podendo sentir-se alguma pressão e turvação da visão durante este procedimento.

A energia do laser é focada no meio do tecido corneano, criando milhares de bolhas de gás que expandem e separam as lamelas da córnea, criando um “flap”. Posteriormente, este “flap” é levantado, permitindo a aplicação do laser Excimer, que vai remover tecido e corrigir o erro refrativo. Para cumprir este objetivo é pedido que olhe fixamente para uma luz e, a partir desse momento, inicia-se o processo de correção.

A duração da aplicação do laser é variável, entre 5 a 30 segundos e está dependente do erro refrativo a corrigir. O tratamento pode originar ruídos e cheiros. A quantidade de energia aplicada é controlada por um computador, que foi previamente programado, com base na informação recolhida na avaliação inicial. Após a atuação do laser, o “flap” é reaplicado na sua posição inicial.

Concluída a correção, é aplicado um penso ocular de proteção, uma vez que o procedimento não tem pontos de sutura. É muito importante o uso desta proteção, até que o “flap” esteja cicatrizado (o que geralmente ocorre após 12 horas), para evitar traumatismos acidentais ou algum contacto com o olho durante o sono.

Após a cirurgia

Após a cirurgia é frequente a sensação de desconforto e lacrimejo durante as primeiras horas, mas nunca se sente dor. A visão é normalmente turva, o olho pode ficar congestionado e pode existir alguma hipersensibilidade à luz, sintomas que passam rapidamente nos dois primeiros dias. Contudo, como a melhoria da visão é progressiva, pode haver alguma dificuldade no trabalho durante os dois primeiros dias, devendo a atividade profissional ser planeada.

É extremamente importante não coçar, nem tocar de modo algum no olho, o que pode deslocar o “flap”, situação que, a acontecer, irá requerer uma segunda intervenção. Será preciso colocar gotas após a cirurgia, geralmente durante uma semana, para prevenir a infeção e/ou inflamação, mas também pode ser necessária a aplicação de lágrimas artificiais durante algumas semanas. É importante ser observado 2 ou 3 dias após a cirurgia, para verificar se tudo está bem e para ajustar a medicação.

Durante as primeiras semanas, a visão pode ter flutuações, atingindo uma estabilidade entre 1 a 3 meses após a cirurgia, altura em que deve ser novamente observado. Durante as primeiras semanas pode, ainda, existir alguma hipersensibilidade à luz e dificuldade na condução noturna, situação que melhora progressivamente.

Deve abster-se de usar maquilhagem durante 3 dias após a cirurgia, evitar desportos que exijam algum esforço físico (ex. futebol) durante a primeira semana, desportos de contacto (boxe, karaté, etc) durante 3 semanas e o contacto direto com água e calor (natação, sauna, banho turco) durante 4 semanas. Se sentir dor ocular intensa ou se a visão piorar em vez de melhorar, deve contactar o seu médico imediatamente e não esperar pela consulta programada.

Existem atualmente milhões de pessoas já submetidas a LASIK em todo o mundo, reconhecendo-se os resultados deste tipo de cirurgia refrativa. Os resultados são ótimos desde que sejam cumpridas as indicações e pressupostos (ausência de doenças, estabilidade refrativa, espessura e regularidade da córnea), e se tenham todos os cuidados inerentes a uma intervenção cirúrgica. Com os sistemas de laser atuais (Femtossegundo e Excimer), a percentagem do sucesso cirúrgico aproxima-se dos 100%.

Rui Proença

(médico oftalmologista)

Leave a reply