Ortopedia

O caminho já foi aberto pela Oftalmologia, quando trouxe a robótica para a mesa de operações. Hoje é a Ortopedia que aproveita o melhor da tecnologia, em troca de segurança e qualidade de vida. É este o pacto que o Centro Cirúrgico de Coimbra tem com todos os seus doentes. O Mako veio para reforçar a precisão cirúrgica e potenciar os resultados de uma substituição articular. Começamos pela prótese ao joelho.

Quem pode fazer cirurgia robótica?

Todos, independentemente da idade. 

Que tipo de cirurgia?

Substituição articular por uma prótese. A cirurgia robótica está indicada para próteses no joelho e anca. 

É preciso ser uma cirurgia programada?

Sim, é imprescindível que assim seja. A intervenção começa a ser planeada 15 dias antes, com um estudo pré-operatório diferenciado. Será necessário o(a) doente fazer uma TAC, que vai ajudar a calcular qual o tamanho e posicionamento da prótese para aquele doente específico. 

O que acontece durante a cirurgia?

No decorrer da intervenção, o cirurgião ainda poderá fazer alterações no plano, com ajustes mais finos e detalhados, com base na informação de sensores, que vão avaliar a biomecânica individualizada do doente. Já com o doente anestesiado, são colocados sensores, que irão validar todas as medições, mas também o corte que – neste caso – é feito ao milímetro e sem dano ou invasão dos tecidos moles, o que só é possível graças à programação feita para o braço robótico. Este tipo de sensores tem uma antena que transmite os dados de posicionamento espacial das articulações, anca e joelho, o que também permite fazer um ajustamento individualizado do posicionamento da prótese, com base na tensão ligamentar. No caso da cirurgia ao joelho, é possível fazer uma medição do centro de rotação da anca e validar o posicionamento espacial das três articulações do membro inferior. 

Quem comanda e executa a cirurgia?

A cirurgia é comandada pelo cirurgião e executada por um braço robótico de alta precisão. Após uma planificação informática, com base na TAC pré-operatório, cabe ao cirurgião ortopedista validar ou ajustar as informações sugeridas, com base em toda a informação colhida pelos sensores colocados no membro. Este tipo de cirurgia robótica permite conciliar a melhor técnica do cirurgião com a melhor tecnologia, o que se traduz numa mais-valia para o doente. Note que a cirurgia robótica em Ortopedia só pode ser executada por médico com certificação específica.

O tempo cirúrgico é maior?

É muito idêntico, porque há todo um planeamento feito antecipadamente. Contudo, o tempo cirúrgico pode ser um pouco superior, com mais 10/15 minutos, por comparação com a cirurgia tradicional.

O que acontece na recuperação?

Menor perda de sangue, menos tempo de internamento e menos tempo de fisioterapia. A recuperação é mais rápida. A precisão, o planeamento e o acompanhamento em tempo real de toda a cirurgia conduzem a um resultado final otimizado.

A especialidade de Ortopedia está integrada num centro clínico altamente tecnológico e que sempre investiu na segurança e no melhor para cada doente.

Se necessitar de um esclarecimento adicional ou quiser marcar uma consulta de avaliação deve enviar um e-mail para comunicacao@ccci.pt

Deixar um Comentário