Acredito na boa sorte. A que se consegue com muito trabalho. A que usa a inteligência partilhada, o bom senso, o querer e os bons princípios, como ferramentas para o sucesso. Para o sucesso de todos nós

Há muitos anos, de visita ao Egipto aprendi uma história:
Um muçulmano em Meca suplica a Alá… Senhor, sabes que eu sou um Homem bom, rico e bem-intencionado… Peço-Te que me deixes mudar o Mundo… Alá não o ouviu… E, seis meses depois, esse mesmo muçulmano lamenta-se e implora a Alá que o deixe mudar o seu País… Sem resposta pede-lhe que o deixe mudar a família… E Alá continua a não ouvir.
Desesperado, implora a Alá que não o deixando mudar o Mundo, o seu País, a sua Família, lhe permita que ele mude… E Alá ouviu-o… E, Ele mudou.

Neste tempo de pandemia, cansados de ouvir jornalistas, comentadores, doutores, presidentes e outros que tais, acredito que independentemente da crença que cada um tenha em Alá ou em um qualquer outro Deus, só serão ouvidas as preces solidárias, as que permitem que cada um de nós mude o seu Eu…

Mudo o meu Eu quando esqueço os meus direitos e reconheço e respeito os
direitos e deveres dos outros…Mudo o meu Eu quando os outros reconhecem e respeitam os meus direitos e deveres…

Neste período de Pandemia é imperioso que cada um de nós reconheça os nossos direitos e deveres, mas também os de todos os outros, usando uma máscara sobre a boca e o nariz, mantendo a distância de 2 metros do outro, lavando e desinfetando as mãos e vacinando-se, logo que surja essa oportunidade. Sempre com a humildade de quem acredita que a boa sorte não o abandonará, mas que a vacina ainda não será “ Tudo”.

A SARS-CoV2 vai aproximar-nos, porque o Centro Cirúrgico é um Projeto para os que precisam de ajuda em Segurança. E, Segurança em Saúde é uma amálgama de emoções, direitos e deveres inalienáveis de todos os doentes e de todos os profissionais. Em Segurança e com ajuda do nosso Deus teremos todos a Boa Sorte que vos desejo.

António Travassos
(Médico oftalmologista)

Deixe um comentário