O tempo é o melhor amigo do Homem… Permite-nos nascer, crescer, envelhecer e morrer. Nascemos para ocupar o lugar dos que partem; partimos para dar o lugar aos que chegam. Sempre foi assim. 

Nascemos para transmitir os genes e, enquanto por cá andamos, ocupamos um lugar que é só nosso, irrepetível e onde podemos deixar a espuma da nossa marca. Mas uma marca de espuma é uma “não marca” que o tempo apaga, sem mancha, sem pegada, sem brilho.

Por mais que queiramos ser importantes, ricos ou inteligentes, nunca nos emanciparemos dos outros, se não formos capazes de lhes proporcionarmos um mundo melhor.

Posso ajudar um doente a obter a cura, posso roubar um milhão de olhos à cegueira, mas nem assim me afastarei de uma memória efémera.

Para nos libertarmos do tempo que passa, precisamos pensar, sonhar e realizar o futuro dos outros. Pensar é o primeiro passo de um caminho que nos pode levar ao saber. Se caminhamos, se pensamos e se, no final, encontramos a Filosofia, somos seres com sorte, porque atingimos o saber organizado, conhecemos o passado e seremos capazes de predizer o futuro.

Uma vez amigos do saber e capazes de o manipular com inteligência, encontraremos a relação, o entendimento, a organização e as oportunidades para cada um e para todos. A gatinhar ou a caminhar, a sonhar e a pensar atingiremos a astúcia que nos faz esquecer o início, a genética e o sofrimento, tão só porque conseguimos encontrar os outros… Sem eles nem saberíamos pensar…

António Travassos

(Médico Oftalmologista)

 

 

Leave a reply