O sucesso da intervenção pode ser medido a duas mãos. Obviamente que os gestos do cirurgião contam mas, não menos importante, também conta (e muito) o que cada um de nós faz com as próprias mãos. Há cuidados a ter para prevenir o risco

É um das causas de cegueira curável e a cirurgia é a única solução para a opacificação do cristalino, ou o que vulgarmente se designa por cirurgia de catarata. Mas, para que tudo corra bem, e sem complicações, há cuidados a ter. Explicamos quais. Antes de mais é preciso perceber se este é o momento certo para realizar a cirurgia de catarata. A avaliação deve ser feita por um oftalmologista e os exames de diagnóstico de apoio à consulta podem prever se esta vai ser ou não uma cirurgia de sucesso. Ciente de que esta intervenção cirúrgica é o passo que falta para uma boa visão, há medidas preparatórias que deve seguir e que visam a segurança de todo o processo.

Os cuidados devem começar cinco dias antes da cirurgia, evitando maquilhar os olhos, mas também o uso de lentes de contacto.

No momento da marcação da cirurgia, o seu médico terá prescrito um antibiótico (em gotas) que serve apenas de prevenção e preparação para a cirurgia, sendo recomendada a sua aplicação dois dias antes e de 3 em 3 horas – mas não precisa acordar de noite para colocar estas gotas. Se não foi sinalizada nenhuma contraindicação, deve manter a sua medicação habitual, contudo, deve informar se toma algum tipo de medicamento da família dos anticoagulantes, tais como Aspirina, Varfine, Xarelto ou Sintron.

Muito importante ainda é a indicação que lhe vai ser dada para não mexer, de todo em todo, com as mãos nos olhos, evitando também o uso de lenços ou toalhas usadas para limpar os olhos. No dia da cirurgia deverá ficar em jejum por um período de 6 a 8 horas, apenas porque as nossas cirurgias são feitas sob sedação, pelo que é recomendada essa medida preventiva, devendo ainda ter em sua posse dados sobre uma breve avaliação clínica, tais como, eletrocardiograma e análises.

Caso não tenha feito estes exames recentemente, não se preocupe porque serão feitos logo após o internamento. Aliás, nesse mesmo dia, deve seguir à risca todos os conselhos e recomendações dos nossos profissionais de saúde.

No dia da cirurgia deve preparar-se para dormir uma noite fora de casa, devendo trazer consigo os produtos básicos de higiene pessoal.

No dia seguinte, após a cirurgia e, no momento da alta, serão fornecidas todas as recomendações que deve seguir e explicada a forma como deve aplicar os novos colírios, respeitando sempre a terapia que lhe é indicada. Nunca é demais acrescentar que, nos dias imediatamente a seguir à cirurgia e para sua proteção, deve evitar locais muito movimentados ou com muito fumo, bem como um contacto próximo com animais de estimação.
E, claro que pode lavar a cara, a cabeça e os olhos, desde que se limpe a uma toalha de rosto lavada e passada a ferro.

Note bem que o segundo olho nunca é intervencionado no mesmo dia, cabendo por isso ao médico assistente a indicação de quando é que poderá agendar a segunda cirurgia. No Centro Cirúrgico de Coimbra nunca são operados os dois olhos em simultâneo, apenas por uma questão de segurança para o doente. Concluídas as intervenções aos dois olhos e passados 8 a 15 dias, poderá então agendar uma consulta de refração, que irá avaliar qual a recuperação efetiva e se é necessário o uso de óculos. Esta não é uma questão despropositada de todo o sentido, uma vez que, em substituição do cristalino, nunca aplicamos lentes multifocais.

A nossa opção recai sempre na aplicação de lentes monofocais, pelo que se o doente é míope ou hipermetrope, a cirurgia de catarata pode resolver o problema deste erro refratívo, contudo, poderá haver necessidade do uso de óculos para ler e ver ao perto. A definição de catarata traduz-se por isso mesmo, por uma visão embaciada, como resultado da perda de transparência do cristalino e da capacidade de acomodação da visão nítida para todas as distâncias.

Hoje, é possível evitar este tipo de cegueira.

 

 

Leave a reply