Já lhe aconteceu colocar gotas nos olhos e ficar com a garganta irritada e seca? Se respondeu sim, deve mudar a forma como está a aplicar as gotas nos seus olhos. Partilhamos as melhores estratégias para quem tem de usar os chamados colírios com frequência ou mesmo diariamente

São várias as razões que podem justificar a prescrição de colírios, como seja a necessidade de controlo da pressão ocular ou, tão só, porque necessita de aplicar as chamadas lágrimas artificiais, para alívio da secura ocular.

Se o seu médico oftalmologista lhe prescreveu a aplicação de gotas e se ainda não se sente confortável com a aplicação desta terapêutica, saiba que há estratégias que facilitam a aplicação dos colírios.

Primeiro que tudo, deve começar por lavar bem as mãos, para não contaminar os olhos ou mesmo o produto que vai colocar nos olhos. Feita a higienização deve começar por inclinar a cabeça ligeiramente para trás e para o lado. Ou seja, se vai colocar a gota no olho direito, deve deixar descair a cabeça para esse lado, evitando que a gota fique no espaço conjuntival. Este é um pequeno detalhe que vai fazer toda a diferença, porque se coloca as gotas junto ao saco lacrimal, no canto interno do olho, está a fazer com que o líquido escorra diretamente para a garganta, provocando a tal irritação, que justifica tantas queixas.

Com a cabeça inclinada e a descair para o lado correto, deve usar uma mão para, delicadamente, puxar a pálpebra inferior para baixo, promovendo assim um pequeno espaço onde irá cair a gota. Mas, note bem, o frasco ou o aplicador que usa para colocar as gotas nunca deve tocar no olho, sob pena de causar danos na córnea, pelo que deve ficar a uma distância segura.

Colocada a gota no olho, deve fechar esse mesmo olho durante alguns segundos, para que o colírio se espalhe, deixando escorrer o excesso pelo canto externo do olho, ao mesmo tempo que limpa esse liquido a mais recorrendo a um lenço de papel limpo e que será inutilizado de seguida. A operação deve ser repetida da mesma forma no outro olho, uma vez que não há necessidade de colocar as gotas nos dois olhos em simultâneo.

No caso de crianças, sugerimos que realize esta mesma operação, seguindo todos os passos já indicados, mas com a criança deitada e, no momento imediatamente antes de colocar as gotas, deve pedir que olhe para o teto.

Como qualquer outro medicamento, também os colírios têm um prazo de validade que deve ser observado, porque uma vez aberto o frasco, o conteúdo pode sofrer alterações. E o mesmo é válido para o armazenamento, existindo colírios em que é recomendado guardar no frigorífico, enquanto para outros produtos, é sugerida apenas uma proteção para a exposição à luz e ao calor.

Leave a reply